Início/Dicas de Saúde/80% da população tem problema com o Glúten

80% da população tem problema com o Glúten

MAIS DE 80% da humanidade tem PROBLEMAS COM O‪#‎GLUTEN‬, por vários mecanismos diferentes!

*** Agora te desafio a mostrar estes materiais para aquele‪#‎profissionaldesaude‬ que você conhece e que acha que glúten “não faz tanto mal assim” ou que tem certeza que “é só modismo” ou que propaga por aí que “faz mal para uma minoria de pessoas”; basta estudar um pouco mais, sem preconceitos, para ver que os males superam as dúvidas, quando o assunto é glúten!

E você acha que o glúten só detona seus ‪#‎intestinos‬ ? Leia e entenda que acaba com seu ‪#‎SistemaImunologico‬, ‪#‎Cerebro‬, ‪#‎Articulacoes‬, ‪#‎Pele‬ e muitos outros órgãos e sistemas! ‪#‎AbraOsOlhos‬: consumo de glúten causa ou agrava várias doenças, agudas ou crônicas.

 

Muitos pesquisadores e profissionais de saúde acreditam que o ideal seria todos no planeta retirarem o glúten de suas dietas (*Shutterstock)

Muitos pesquisadores e profissionais de saúde acreditam que o ideal seria todos no planeta retirarem o glúten de suas dietas (*Shutterstock)

A maioria das pessoas associa a questão da sensibilidade ao glúten com problemas digestivos, tais como a doença celíaca e síndrome do intestino irritável. Além do glúten ter um efeito muito negativo sobre o sistema digestivo, ele também agrava outras regiões do corpo. As outras regiões que, na maioria dos casos, são mais afetadas são o cérebro, as articulações e a pele.

Muitos pesquisadores, incluindo o Dr. Kenneth Fine, PhD, calculam que 81% da população tem algum nível de sensibilidade ao glúten. Isto significa que o organismo produz anticorpos para algum tipo de derivado do glúten. Este mecanismo é chamado de mimetismo molecular, onde o organismo produz anticorpos para proteínas que são semelhantes à gliadina e suas diversas formas.

Muitos pesquisadores e profissionais de saúde acreditam que o ideal seria todos no planeta retirarem o glúten de suas dietas. Quando os indivíduos removem o glúten, eles notam melhoras significativas na função cerebral, em níveis de energia, na respiração, na imunidade, nos níveis de dor, e na saúde da pele.

Abandonar o glúten melhora seu cérebro

Quando comemos alimentos que contêm glúten, aumentamos uma molécula de proteína chamada Zonulin. A Zonulin funciona como um porteiro em ambos os intestinos e na barreira hemato-encefálica. Quanto mais zonulin no intestino, mais permeáveis as células intestinais se tornam, e o risco de desenvolver síndrome do intestino solto aumenta.

Altos níveis de zonulin também soltam as junções apertadas no epitélio das nossas células sanguíneas. Isto permite que as toxinas e outras moléculas deslizem através da barreira hemato-encefálica. Quando a barreira hemato-encefálica é permeável, ela ativa uma resposta inflamatória no cérebro.

Ainda que seu cérebro não sinta dor, ele sofre

O cérebro em si não sente dor, então a inflamação crônica é diagnosticada com sintomas como confusão mental, processamento mental lento, ansiedade, depressão, distúrbios emocionais, etc. Ao longo do tempo, um cérebro que é cronicamente inflamado leva a doenças neurodegenerativas, como a demência, a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson.

Os indivíduos também podem formar anticorpos específicos para moléculas de glúten em outras regiões do corpo. Um dos mais comuns destes padrões de mimetismo molecular são anticorpos de glutamato descarboxilase (GAD). GAD é uma enzima que ajuda a metabolizar o glutamato e é fundamental para a produção de energia nas principais regiões do cérebro.

Indivíduos com anticorpos GAD muitas vezes formam ataxia cerebelar, que os torna incapazes de manter o equilíbrio e têm uma má coordenação. Os anticorpos GAD também estão implicados na diabetes de tipo I, diabetes adulto auto-imune, doença de Parkinson, e síndrome rígida de homem.

Quando metabolizamos o glúten, como resultado produzimos o gluteomorphin opiáceos e o prodynorphin. Estes opiáceos têm um efeito viciante e muitas vezes podem levar a vícios alimentares de açúcar e carboidratos contendo glúten. As pessoas muitas vezes lutam para sair destes alimentos devido aos vícios.

A diminuição do glúten lhe proporciona mais energia

Um indivíduo sensível ao glúten estará constantemente acionando suas glândulas suprarrenais para bombear hormônios do estresse todas as vezes que consumir glúten. O sistema imunológico também tem que se intensificar e entrar em modo inflamatório, que utiliza uma grande quantidade de recursos vitais. Isso sobrecarrega o corpo de matérias-primas e ele fica configurado por exaustão adrenal e fadiga crônica.

Ao comer uma dieta anti-inflamatória que tira alimentos estressantes como o glúten, os alimentos geneticamente modificados, alimentos açucarados, e produtos lácteos pasteurizados, você permite que as glândulas suprarrenais desçam. Isso resulta em um sono melhor, mais energia, além de melhorar o estresse e o equilíbrio emocional.

Cortar o glúten melhora a respiração, as articulações e a saúde da pele

Um dos padrões de mimetismo molecular é o anticorpos para a transglutaminase. Transglutaminases são enzimas, encontradas em todo o corpo, que interligam proteínas e são essenciais para a digestão do trigo. Quando o corpo forma uma resposta de imunidade para a molécula de glúten, muitas vezes ele também cria sensibilidade a moléculas de transglutaminase.

A transglutaminase-2 (TG-2) encontra-se na mucosa intestinal, e anticorpos para TG-2 é um marcador para doença celíaca. TG2 é também um marcador conhecido para a osteoartrite. Esta é uma das razões por que as pessoas com doença celíaca também têm degeneração avançada em suas colunas. Muitos indivíduos com sensibilidade ao glúten não-celíaca também têm grandes problemas com a dor nas articulações, reumatoide ou osteoartrite.

A transglutaminase-3 (TG-3) encontra-se na pele, e os anticorpos podem levar à acne crônica, eczema e dermatite. A transglutaminase-6 (TG-6) encontra-se em todo o sistema nervoso central e a formação de anticorpos leva a desordens neurológicas. A transglutaminase-7 (TG-7) se encontra nos pulmões e a formação de anticorpos leva à asma e outros desafios pulmonares.

Desista do glúten para sentir-se melhor do que nunca

Quando você desistir do glúten e do açúcar, e minimizar os grãos e outros agentes inflamatórios, você notará que vai aparentar e se sentir muito melhor. Sua pele vai ficar mais clara, seu cabelo vai ficar mais brilhante, as articulações ficarão mais fortes e seu cérebro ficará mais aguçado. Sua memória vai melhorar e você vai se sentir emocionalmente mais equilibrado.

Os benefícios de uma dieta anti-inflamatória superam em muito os benefícios glutinosos momentâneos ou sociais associados à ingestão de glúten, açúcar e outros alimentos inflamatórios. Seu maior trunfo é o corpo que Deus lhe deu, do qual você tem que tomar cuidado adequado para viver o seu pleno potencial na vida!

 

Fonte : http://www.icaro.med.br/gluten-afeta-pele-mais/

Nossa Loja: saboralternativo.com.br

By | 2017-04-02T21:06:13+00:00 dezembro 1st, 2016|Dicas de Saúde|Comentários desativados em 80% da população tem problema com o Glúten